quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Diante da dor do menino sem nome,

Me recolho na perplexidade diante do fato. Que exista algum Deus que possa aliviar o quanto antes sua dor, pequeno menino. Que a amnésia caia algum dia sobre tudo isso. que você possa ficar bem, e longe desse cenário macabro, que é a sua família, se é que podemos chamar essas pessoas de família. Me pergunto agora as causas, os motivos que levaram essas pessoas a fazerem isso com você. não há dor, trauma ou passado que justifique. Esse processo de levar a dor adiante não pode ser tolerado. tenho medo do que você verá quando acordar. e me sinto fraco e deprimido por pensar que atrocidades parecidas como essa são frequentes dentro de vários lares e não chegam ao público. Você será esquecido, como a menina Isabela Nardoni, como o menino João Hélio. talvez isso não faça diferença alguma. Só queria que você esquecesse tudo agora, tudo. e que voltasse a ser apenas um menino, somente um menino como qualquer outro.

2 comentários:

Bobéia disse...

ignorância e maldade só podem gerar revolta.

Breno disse...

Foi por feitiçaria. O Padrasto confessou que duas mulheres seguraram o menino e ele colocou as agulhas. Uma das mulheres se dia feiticeira... Covardia...