segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Biológico - é preciso um músculo para amar

Amanhã volto pra academia, seguir fichas, levantar halteres enferrujados, fazer alongamentos e caretas horrorosas, revezar aparelhos com pessoas simpáticas, destestáveis, lindas, ou pedantes. Na academia eu exerço também meu olhar pseudo analista pros tipos, fenótipos e personas que convivem ali ao som de axé, psy trance ou hits da Jovem Pan. Há momentos divertidos, não posso negar.

Sempre que terminamos um relacionamento, no meio de toda a tristeza e vazio que acompanham esse período, temos esses picos e impulsos de querer superar imediatamente alguma parte do momento, nem que seja a própria imagem, e essa imagem que a gente tem de nós mesmos quase sempre é a primeira em que pensamos transformar. funciona como um ato de criação. Ficar em forma, perder peso, sumir a barriga, parecer sexy em uma roupa, valorizar suas formas, ganhar elogios, atrair, chamar atenção, acasalar, rituais. é sempre o mesmo impulso, a mesma melancolia, as mesmas tentativas, o mesmo esforço gasto, o mesmo tempo e dinheiro investido. mostrar ao mundo que você não está na pior. ( acreditando nisso ou não ).

Li uma vez em um blog algo muito interessante. "não exija dos outros o que você não pode oferecer". é a mais pura verdade. quando se fala em recomeçar processos, ritmos, não será da sua tal beleza interior, pura e simplesmente que a transformação acontecerá. toda revolução ou renascimento tem um processo estético intrínseco. Mas isso é outro assunto.

Eu sei que vendo, cobiçando, e pensando em músculos, me lembrei dessa música da M.I.A. que eu amo demais. e que cai tão bem nessa fase tão estranha. já que acreditamos que são os músculos que movem, que bombeiam, que dão forma ao corpo, que aproximam os corpos, tudo talvez faça um pouco mais de sentido. um coração, um bíceps, nos ensinaram que um simboliza o amor e a vida, o outro simboliza virilidade, força, testosterona. será que não é tudo a mesma coisa?

o coração é um músculo como o outro? Quando malhamos o corpo, os músculos ficam "lesados" e hipertrofiam, se tornam fortes. Quando malhamos nosso coração, submetendo ele às mais fortes emoções, provas, e testes, parece que ocorre o contrário. ele se atrofia, encolhe, fica do tamanho de uma cereja, de um morango. não deveria, já que também é um músculo, o filho da puta.

M.I.A. diz mais coisas com muito mais poesia do que eu. e a melodia é a coisa mais gostosa do mundo.

When everybody leaves you lonely, times are worse than sad
And the world is falling on your head
Just remember for all you know,
good or bad come what may
You're gonna live tomorrow, if you don't die today.

It takes a muscle to fall in love
It takes a muscle to fall in love
It takes a muscle to fall in love

2 comentários:

Não lidos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo disse...

Gosto do seu blog, especialmente das postagens mais pessoais. Continue ;)