quinta-feira, 3 de março de 2011

Ranço

Quando este post foi escrito, ainda não havia sido lançando o vídeo de Born This Way

Desde o lançamento de Born This Way, tenho vivido semanas alternando momentos de alegria e satisfação com muita, muita irritação de pessoas que se dirigem a mim pra falar qualquer coisa sobre Gaga. Boa ou ruim, sensata ou baboseiras, enfim. Me irritei demais e ainda me irrito com a forma a qual algumas pessoas lidam com uma questão que vai MUITO além da nova música de Lady Gaga, que pra mim, é somente a ponta do iceberg de patologias bem maiores.
Antes de falar do que me irrita e instiga, falarei do que achei da música em si. Em primeiro lugar, NÃO me decepcionei com a música. Gostei MUITO de Born This Way e não vou nem entrar na questão eterna das acusações de cópia. Não acho BTW cópia de Express Yourself. Sonoridades parecidas é uma coisa, cópias outra. Não fiquei frustrado com a música, pois em nenhum momento acreditei cegamente no papo do “novo hino”, de música da geração. Aliás, como qualquer forma de arte, vale a máxima – “Arte, faz quem quer, acredita quem quer”. Gaga é uma artista ultra marketeira, fala o que for preciso pra causar, pra causar buzz, seja positivo ou negativo. Você leva a sério os absurdos egocêntricos que o Kayne West fala? Você realmente acredita no que os artistas dizem, assim, literalmente? O trabalho dele, por exemplo, é muito bom, isso é fato, mas é saudável e racional tentar separar artistas de suas pessoas às vezes.
Por isso, não fui tolinho de achar que Gaga chegaria inventando o novo Thriller, por mais que a própria sugerisse algo do tipo e se empolgasse em algumas declarações. Sempre acreditei que Gaga manteria uma sonoridade bem semelhante ao que já vinha fazendo, com mudanças sutis, vide os produtores que ela escolhe, como Fernando Garibay e o novo DJ White Shadow. Ainda assim é meio cedo, afinal BTW é uma faixa do álbum, que ainda não ouvimos pra ter uma opinião sobre o conjunto da obra. De toda forma, se decepcionou quem quis, é o que acho. Prefiro ter os pés um pouco mais no chão e entender melhor essa doença, esse febre que afeta todos, haters e little monsters, mas que ninguém fica indiferente.
Acho Born This Way uma boa musica pop. Dançante, positiva, gostosa. Musicalmente é isso. Pronto. Mas digo, musicalmente, porque o que alguns não entendem é que no Gagaísmo, a música em si, é a tela branca, o plano de fundo para todo o resto de seu teatro, seu ritual. O melhor produto de Gaga é Gaga. Não entendo como pessoas falam dos hits Just Dance e Poker Face como revoluções sonoras, não gente, não são. Como fã, eu digo que não é, pela musica em si, que poderia ter sido gravada por outra cantora, com melhores vocais, enfim. O que faz tudo isso ser o que inflama o mundo, é todo o restante, a atitude, somada com as polêmicas, os factóides, a relação com a moda, as referencias, o drama, as paixões e manifestações fan-made, e principalmente todo o debate e questionamento que o mundo está fazendo dela agora. Ela não vai durar, Ela falhou, Ela está se repetindo, Ela morreu. Ela cansou, ela se esgotou. Tudo isso é novo, se tratando de ícones pop? Lógico que não, mas é atual, é presente, é contemporâneo. TUDO já foi experimentado, rompido por Grace Jones, Yoko Ono, Donna Summer, Nina Simone, entre outras várias..e Madonna. Madonna..esse nome inseparável.
Assim como Madonna não criou a roda, Gaga também não. Ambas se inspiraram em seus ícones femininos de cada época. Ambas chocaram, cada uma por motivos. Não acho que Gaga seja a nova Madonna, até pq o mundo não precisa de uma nova Madonna. Mas também não entendo essa mágoa, esse ranço de fãs radicais de M, que esperam e vêm me fritar, mandando dezenas de links com a tal matéria da Illustrada, que até concordo em várias partes, outras não. É difícil se manter fora desse cenário de ódio e mágoa entre os que ouvem música pop. Quando você tem amigos, conhecidos e colegas que projetam grande parte de suas frustrações, vazios e lacunas sentimentais nas obras que consumem para se afirmar como pessoas..ah..especiais e como pessoas de “opinião”.




E daí surge aquele ambiente ( em grande parte virtual ) no qual cada um quer ser mais sábio que o outro. Pipocam críticos de música, de literatura, de moda, de cinema, de arte.. mas tudo temperado exageradamente com tédio, pedantismo e uma “profunda superficialidade”.
Acho que obviamente somos em boa parte de nossas personalidades aquilo que consumimos, os filmes que vemos, as obras e músicas que mais nos tocam e dizem, as peças que vemos no Teatro, as marcas de roupa que caem melhor e que podemos comprar. Mas é de uma burrice e limitação cerebral-cultural imensurável acreditar que somente os produtos, ( sim, produtos, por mais que você esteja de mimimi e falando sobre a “aura” da arte ) constituem nosso Eu.
Há toda uma vida e campo humano mais vasto e desconhecido, escondido que vai bem além das citações e versos que você escreve abaixo do seu nome e nickname. Por isso, me sinto tendo que regredir cerebralmente pra discutir e tentar entender essa palhaçada quando se fala da música da Gaga, da Madonna, e qual vadia que seja. Enfim. As pessoas tão completamente loucas, e perderam a noção do bom senso. Madonna, Gaga, Xuxa, Mulher Melão são artistas ou não, profissionais do entretenimento também. São empresárias e prestam contas. Visam o lucro, pagam funcionários. Nenhuma delas “faz” seus próprios vídeos, roupas, capas de disco, turnês, pelo menos atualmente. Todas são o que são pela confiança e credibilidade que deram e hoje tem acesso aos melhores profissionais de todas a áreas envolvidas na sua imagem e trabalho.
Em vez de ficar o dia inteiro falando, comparando, criticando sem fundamento e tentando provar pra quem gosta, seja exagerado ou não nesse gostar; você deveria ir pegar seu i-phone com suas músicas que ama, seu livro preferido, vá pra um parque, tenha uma vida. Quanto mais você se manifesta e ridiculamente tenta provar que o que critica não é tão bom quando todos os fãs dizem que são, mais o objeto, no caso Gaga, será colocado em evidência e crescerá. E você será OBRIGADO a vê-la, ouvi-la, nas baladas, nas rádios, nos sites, nas redes sociais. Sim, eu falo pra vocês que me torraram a paciência.
É impossível não comparar Madonna e Gaga, não somente no estilo estético ou no sentido batido de cópia. Mas de posturas. Assim como M. Gagaloo também acostumou as pessoas com um nível tão de tirar o fôlego e surpreender, que quando soa mais do mesmo, o mundo cai. Aliás, os que vêem e sentem algo nela, pq sinceramente, quem não gosta de verdade, simplesmente ignora. Quem odeia com convicção, é porque no fundo ama. Acho Justin Bieber uma bosta, e nem por isso tenho vontade de ficar gastando linhas e minha respiração falando mal dele, provando que ele é ruim, se ele e quem mais seja for uma farsa, um produto, azar, ele tai fazendo um sucesso estrondoso e algum motivo ele tem e fez pra merecer isso. E merece.



Omar Afuni: Pop é pra ser feliz.

Cabem aos artistas e seus empresários fazerem o que for pra suas carreiras continuarem bem ou não. Alguns folgados sentam suas bundas nas suas cadeiras, e esperam ser surpreendidos e ponto. Claro que você quer ouvir sempre boa música, mesmo não gastando um centavo com os álbuns que você baixa do Torrent. Mas não vou me envolver com o futuro da carreira de ninguém! Desejo vida longa pra Gaga, e acredito nisso, mas isso não depende de mim! As pessoas têm me falado dela como uma irmãzinha que está pra entrar na faculdade, que apronta e vai se ferrar, que pecou e vai ter q acertar as contas comigo. Francamente, n é gente?
Sou fã do trabalho de Gaga, ou se quiserem me chamar, sou little Monster. Gosto de acompanhar tudo que ela faz, presto homenagens, me expresso o quanto amo fazer isso. Ela me diverte, me dá voz em várias vezes, danço feliz seus hits. Gosto do frio na barriga esperando ela se apresentar no VMA, No Grammy, com medo do que ela irá aprontar. Se fará bonito ou cagará no maiô. Tudo que um fã faz.
Fãs de outras cantoras, e estilos, sejam pop, rock ou indie, alguns deles é preciso dizer, falam que os gaga fans são chats, xiitas, e tal. Primeiro: mesmo como fã, nunca, nunca disse que Gaga é imune a críticas. Acho que ela se confunde as vezes, se atrapalha com excessos de elementos e informações, se perde nas próprias viagens algumas vezes. Não sabe ainda criar sumiços, espaços de suspense, de causar supresas. Nem sempre gosto dos outfits, nem gosto de todas as músicas, lives. Enfim. Dito isso, mesmo assim não vou deixar de ser fã e a achar genial, querida, especial, única em tantos sentidos.
Segundo: QUALQUER fã é e sempre será um tolinho, um ridículo. Não vejo diferença alguma entre as reações de alegria e histeria dos little monsters quando vaza o novo álbum de Gaga com a reação dos fãs do Radiohead ao vazar seu novo álbum também. Não vejo meeesmo. Ser fã é ser intrinsecamente bobo, ingênuo, infantil, passional. Mas isso não é ruim, pelo contrário. É ser deliciosamente alegre, criança, efusiva, que acredita naquilo que seus ídolos dizem e fazem. É se espelhar, se inspirar, dar voz a você. Ontem era o Superman, o Batman, os Cavaleiros do Zodíaco, a Xuxa, a Sailor Moon, as Guerreiras Mágicas, hoje é Gaga, Madonna, Iggy Pop, Keane, Mika, Maria Betânia, Ivete... ser fã é acima de tudo, acreditar. Eu respeito os que acreditam, e gostaria de ser respeitado também, o que infelizmente não vem acontecendo.
Não preciso que me provem nada, da mesma forma que não tenho a mínima vontade de provar algo pra vocês.

6 comentários:

b´´´ disse...

o medley da ariana grande também é ótimo: http://www.youtube.com/watch?v=u8SoTkp52mQ


... e eu amo born this way, mas que government hooker é muuuito superior, isso é inegável.

b´´´ disse...

sobre o seu texto, concordo em gênero, número e grau.
é muito pedantismo, é muita argumentação, pop foi feito para ser entrenimento, para ser divertido, não para as pessoas mostrarem quem tem maior formação em poplogia. tem alguns PhD por aí que perdem totalmente a noção do rídiculo, viu...

Tão Pouco Histérico, isso... disse...

Bom post, um tapa na cara de todo mundo, eu digo TODO MUNDO que se acha muito pra gostar do seu sem pensar no direito do outro de gostar tbém. E outra: já deu esses espaços q se acham formadores de opinião e dão vazão pra esse tipo de discussão.

Sanderson disse...

muito orgulhoso d seu texto!

guardei com uma estrela no google reader, pra ler seu texto com tempo. assustei com o tamanho... mas como muita coisa q vc faz me agrada, vi q como vc gastou tempo com um post tão grande, eu precisaria de um momento decente para ler, admirá-lo... e depois d finalmente sossegar e conseguir este tempo, me orgulhei muito do q li. façamos nossas vidas, pulemos discussões q não levam a nada e pop para alegria geral.

bem orgulhoso... baby we're on the right track.

alex machado disse...

um texto de da gosto, de grande,estava sentindo falta dos seu big textos joapa ^^

Pedro @snoopy_xxx disse...

Comentando tardiamente por aqui, mas é que eu achei o texto muito legal. Eu sou fã de Britney Spears, ou seja, eu sei bem o que é ser criticado por gostar de um artista. Anos atrás, já perdi meu precioso tempo argumentando sobre as críticas contra o talento dela. Até que eu li um comentário da própria Britney muito interessante. Era algo como que só rebate certas provocações quem lá no fundo dá razão ao provocador. Como isso fez sentido pra mim! Aliás isso faz sentido pra outros assuntos também.
Bom, é isso, o mais importante é ouvir o que é agradável aos nossos ouvidos. Se é isso ou aquilo, mandemos um foda-se bem bonito!