domingo, 17 de outubro de 2010

NOJO

a lição que tirei dessa eleição é que descobri que tenhos amigos e conhecidos muito extremistas, radicais, demagógicos e reacionários. não me incomoda tanto o fato da pessoa fazer campanha política, vestir a camisa. De certa forma eu consigo ignorar e bloquear meu acesso a esse tipo de conteúdo, afinal, todos tem o direito de vestir a camisa que quiserem. Só que me deixa irritado e um tanto chocado quando nego vem escancar comigo que eu sou burro, idiota, acéfalo, bunda mole, sem opinião, sem consciência, e menos cidadão, por expressar minha decisão de anular meu voto, pelo fato de simplesmente não concordar e nem apoiar nenhum dos dois canditados à presidência. Esses foram alguns dos nomes que me chamaram por isso, por não escolher entre um e outro. Eu não aceito que me imponham isso. e não me acho menos cidadão também. mas não me importo tanto. Tenho nojo do modo como conduzem essa eleição, então se for pra ficar fora e distante disso, faço questão de ser menos cidadão então. Não há outra palavra para definir esse momento além da palavra NOJO.

Um comentário:

Pedro disse...

Também nunca vi uma eleição tão acirrada e estúpida quanto essa, as pessoas realmente estão dando a essa questão uma importância religiosa (com o perdão do trocadilho); infelizmente, não com a intenção adequada. Obviedades à parte, já desisti dos candidatos à presidência (já ao governo do DF ainda dedico alguma atenção por questões regionais, mas enfim): preguiça suprema de entender os jogos de poder de cada campanha e muita má-vontade em "TER QUE" escolher um lado nessa guerrinha cromática (azul x vermelho).

Quanto aos cidadãos fanáticos/exacerbados, independente da época, sempre haverá um punhado deles; você lembra das demonstrações de patriotismo na época da Copa? Opa...

(deja-vu?) o.ô