terça-feira, 21 de outubro de 2008

a night life de Belo Horizonte

_________

Muito se fala da noite em BH. que ela está caída, que ela já foi assim assado, que não há mais lugares legais, que o público não vai e blá,blá,blá. Creio que as pessoas que saem à noite em BH são extremamente exigentes no quesito balada eletrônica, pois nada está bom.

Não estou defendendo a noite aqui, as casas, etc. Só realmente acredito que BH não absorve toda essa demanda de festas que tem aqui. Festas tem muitas, baladas, raves, tudo pra todos os gostos, ( como exemplo o UMF Festival que traz Carl Cox, Erick Morillo, Booka Shade, Benny Benassi, Fedde Le Grand, Victor Calderone, Tocadisco, Yves Larock e + um monte de Dj )

só acho que tem mais oferta do que procura. Não há público e dinheiro pra tudo isso, então creio que é natural que o povo debande, se disperse, enfim, é a realidade. Trabalho na noite já um bom tempo, já vi Djs da velha guarda, ultra profissinais tocando pra pistas vazias..a vida é assim, uma dia bomba, outros não..

Me enche o saco ficar ouvindo pessoas, um tanto quanto deslumbrandas reclamarem que BH não é como São Paulo, que sempre tem festas lotadas e boas, inclusive no meio da semana, aliás BH em geral tem um complexo de inferioridade gravíssimo e patológico com São Paulo, em vários aspectos. Me irrito com expressões do tipo "Lourdes é nossa Oscar Freire", "Savassi é nosso Jardins", "Santa Tereza é nossa Lapa ( Rio) " . Enfim, um porre, cafona. A diferença que percebo é que em SP as pessoas se jogam mais e tão nem aí, aqui vejo um sentimento de culpa muito grande, do tipo "quero causar, mas não quero queimar minha boa imagem". zzzzzzzzzzzzzz

BH não é um centro de efervecência cultural, galera. òbvio que aqui tem um monte de coisas bacanas acontecendo, mas tudo infelizemente é muito pequeno, muito tímido, talvez por essa tradição mineira de sempre ter medo de ousar, de ficar querendo fazer tudo "quietim", sem querer se expor de verdade, mostrar sua cara. e isso se relete em tudo, e nas baladas é claro. então, tudo não vai além do "wannabe". ( aliás, esse o nome de uma festa indie aqui que tem um dos públicos mais fiéis que conheço.)

Acho que com internet hoje, não tem nem muito sentido acreditar em limites geográficos pra fazer seu trabalho acontecer. Fenômenos dos Blogs, Myspaces e Youtubes da vida provam isso.

Outro ponto que gostaria de salientar, é que gente. tudo tem um prazo de validade. A não ser que vc queira trabalhar e viver seriamente com a noite pelo resto de sua vida, ser um promoter, ou um DJ profissional, o que não é o meu caso, a vida de baladas um dia acaba..boates abrem, a maioria com muita sorte, não passa de um ano de vida.

em vez de ficar resmungando e lamentando que a noite não é mais o que vc esperava que fosse, talvez seria melhor assumir que você mudou e os focos de interesse são outros agora, que aquilo não faz mais tanto sentido pra você, em vez de ficar julgando e achando que "no seu tempo" era tudo melhor.

deu vontade de sair, beber, ficar louca, dançar ou simplesmente querer pegar geral na noite? SE JOGA!


_______

2 comentários:

pauloraic disse...

eu mostro a cara sim kkkkkkkkkkkkkkk

Sr.Mogiz disse...

Ótima crítica sobre o comportamento de nós de BH em relação a vida noturna, é isso mesmo! Gostei...